Inscreva-se para receber nossa newsletter

© Depositphotos.com / Wavebreakmedia O bullying pode ser definido como um ato de violência física e psicológica realizado por uma ou mais pessoas, com o intuito de causar algum constrangimento.

Combater o bullying é cada vez mais urgente, uma vez que essa é uma prática que pode ocasionar danos irreparáveis para as crianças e adolescentes que sofrem com esse tipo de situação. Vale destacar que é justamente o bullying uma das principais causas de suicídio entre jovens em todo mundo, evidenciando a importância de criar políticas sérias de combate às agressões físicas e emocionais dentro das escolas.

Em agosto de 2016, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontaram que o número de casos de bullying cresceu em comparação à pesquisa anterior, realizada em 2012. Cerca de 46,6% dos alunos entrevistados afirmaram ter sofrido algum tipo de constrangimento na rotina escolar.

As principais consequências do bullying

  • Timidez excessiva;
  • Baixa autoestima;
  • Dificuldade de relacionamento social;
  • Agressividade;
  • Baixo rendimento escolar;
  • Fobias;
  • Compulsões;
  • Depressão;
  • Desenvolvimento de pensamentos suicidas.

Rodrigo Fonseca, fundador e presidente da Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional (SBie), ressalta que é importante estimular e desenvolver a autoestima das crianças. Para ele, a prática precisa começar em casa, com os pais ressaltando os pontos positivos dos filhos. “As ações dos familiares e pessoas próximas são fundamentais e possuem influência direta na maneira como as crianças irão se comportar na escola. É necessário incentivar que os pequenos saibam lidar com as diferenças e aprendam a reconhecer os próprios talentos e habilidades, assim como os pontos positivos dos colegas”, afirma.

Como os pais podem agir ao lidar com o bullying

  • Incentivar os filhos a lidar com as diferenças e ensiná-los a valorizá-las;
  • Conversar, questionar e trabalhar os preconceitos em casa;
  • Reconhecer e valorizar os acertos dos filhos;
  • Entender que os próprios comportamentos servem como espelho para as crianças e que, portanto, é fundamental ser um exemplo saudável e respeitoso dentro do ambiente familiar.

O papel da Inteligência Emocional na luta contra o bullying

A Inteligência Emocional — que é a habilidade de conviver de maneira mais amena com os sentimentos e fomentar o controle das próprias emoções — é uma ferramenta bastante eficaz para lidar e evitar a prática do bullying.

O desenvolvimento da Inteligência Emocional faz com que a vítima de bullying saiba lidar melhor com a situação, além de prevenir que os atos aconteçam. Isso acontece porque os agressores passam a entender e respeitar o espaço do colega.

Vale destacar que é em casa que os seres humanos dão início à formação de sua personalidade e caráter e, por esse motivo, a Inteligência Emocional precisa ser trabalhada desde cedo para que a criança entenda a importância de respeitar o próximo em todos os ambientes e situações.

 

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Caso você ainda não conheça o significado do termo “mindset”,

Leia Mais ►

Treinamentos Sbie

DESENVOLVA A
CAPACIDADE QUE PESSOAS REALMENTE FELIZES E QUE VERDADEIRAMENTE LIDERAM SUAS VIDAs POSSUEM.
A HABILIDADE INDISPENSÁVEL PARA TODO PROFISSIONAL
QUE TRABALHA COM DESENVOLVIMENTO HUMANO.

Inscreva-se para receber nossa newsletter