Inscreva-se para receber nossa newsletter

5 dicas para superar traumas do passado
Alguns comportamentos podem promover mudanças positivas, auxiliando no começo do processo de cura dos traumas emocionais.


Cada pessoa lida com um trauma emocional de forma diferente e a jornada para superar isso é singular. O que funciona para um, pode não funcionar para outro.

Afinal, temos histórias de vida distintas, desenvolvemos nossos próprios valores, crenças e comportamentos.

E isso tem um peso muito grande no momento em que precisamos superar uma situação traumática, que pode ser desenvolvida por diversas razões, como, por exemplo:

  • Término de um relacionamento;
  • Perda de entes queridos;
  • Assédio físico, sexual ou mental;
  • Relacionamentos abusivos;
  • Situações de humilhação;
  • Assaltos e Sequestros;
  • Abandono na infância;
  • Situações de risco de vida;
  • Mudanças drásticas, como a separação dos pais na infância;
  • Acidentes;
  • Exposição a situações extremamente difíceis, como pobreza extrema.



Veja mais: “Bem-estar: 6 dicas para encontrar mais prazer e felicidade na sua rotina”


Sinais do trauma emocional

Na maioria das vezes, não conseguimos lembrar do trauma que vivenciamos porque nosso cérebro emocional cria uma barreira, um mecanismo de defesa para nos proteger.

Temos medo de encarar e reviver aquela dor, então, esse mecanismo é criado quase que de forma inconsciente.

Mas, isso apenas agrava o problema, pois quando não aceitamos a nossa história, deixamos de ser nós mesmos.

Não dá para fugir de um trauma emocional para sempre. Ao decorrer da vida, sentimos diversos sinais, até que chega um momento onde não dá mais para desviar o olhar.

Confira alguns efeitos que o trauma pode gerar:

Emocional

  • Desesperança, sentimento de incompetência e impotência;
  • Incapacidade de se sentir feliz e desfrutar pequenos momentos de alegria;
  • Culpa;
  • Ansiedade e Depressão;
  • Ataques de pânico;
  • Falta de amor-próprio e autoconfiança;
  • Dificuldade em compartilhar sentimentos e pensamentos;
  • Raiva e Medo.


Comportamental

  • Vícios (substâncias químicas, álcool, jogo, comida e compras);
  • Comportamentos Autossabotadores e Autodestrutivos;
  • Isolamento social ou Fobia social;
  • Descuido pessoal;
  • Fadiga;
  • Dificuldade parental e de manter um relacionamento amoroso;
  • Insônia.


Cognitivo

  • Falha na memória;
  • Perder a noção do tempo com frequência;
  • Falta de concentração;
  • Pensamentos negativos;
  • Falta de desejo sexual ou contato;
  • Dificuldade em tomar decisões.


Afinal, como superar um trauma do passado?

Essa tarefa não é fácil – exige muito foco, prática e persistência. Importante frisar que um acompanhamento profissional nessa jornada é extremamente importante.

Há alguns comportamentos que podem promover mudanças positivas, auxiliando no começo desse processo. Separamos 5 dicas para te ajudar, veja a seguir!


Identifique os gatilhos

Precisamos ter consciência daquilo que queremos mudar em nossas vidas e identificar os gatilhos que nos levam a ter comportamentos ou pensamentos negativos é um passo muito grande.

O trauma emocional carrega emoções e sentimentos associados ao acontecimento e podemos acessar esses programas emocionais através de algum gatilho externo ou interno.

Quando percebemos esses gatilhos, temos o poder de mudar a nossa reação e, assim, agir de uma forma diferente da próxima vez.

  • Gatilhos internos: memórias, crenças, frustrações, expectativas, mágoas, ciúme, medos, rancores.

Por exemplo, lembrança de algum acontecimento doloroso; pensamentos como “não sou capaz”, “ninguém me ama”; medo de sofrer etc.

  • Gatilhos externos: ambientes, acontecimentos, lugares, pessoas, tarefas, conversas, atividades, situações, cenários.

Por exemplo, encontrar uma pessoa que desperta mágoa; necessidade de sempre ir em algum lugar ou encontrar alguém que te lembre de alguma dor etc.

Sempre que entrar em um estado emocional negativo, identifique o que aconteceu antes (isso são os gatilhos) e anote.

Logo, será possível perceber um padrão de comportamento e assim, alterá-lo!


Neste vídeo, Rodrigo Fonseca, presidente da Sbie, explica como superar traumas!



Trabalhe sua autoconfiança

O trauma não define a essência de ninguém. Quando temos baixa autoestima e não fazemos nada para mudar isso, diminuímos o amor e damos espaço para a dor.

Todos os dias precisamos praticar o amor-próprio, isso não nasce de uma hora para outra e muito menos se mantém para sempre com apenas uma atitude. É um trabalho contínuo.

Então, procure lembrar dos pontos positivos, suas qualidades únicas, características que somente você tem. Se elogie ao olhar no espelho, tire um tempo para fazer coisas que gosta, diga “não” e se coloque em primeiro lugar!

Aos poucos, isso se tornará um hábito e a autoconfiança será a principal força para superar o trauma.


Encontre um porto seguro

Sentimentos inferiores vão surgir e você precisa de um “porto seguro” para se desconectar disso — tudo é equilíbrio. Algumas pessoas recorrem à espiritualidade, trabalho voluntário, um hobby…

Encontre algo que traga alívio para a sua vida. Você precisa de leveza e todos os dias temos a oportunidade de achar uma parte de nós que era desconhecida até então. Nunca é tarde para aprender algo novo!


Aproprie-se do seu futuro

Metas e objetivos são essenciais para termos motivação e assim, evoluir. Envolva sua vida profissional, social e familiar nesse processo.

O que você quer alcançar nessas áreas? Qual é o seu sonho? Pense a longo e curto prazo. Abrace o seu futuro, a sua jornada. Ela pertence somente a você.

Ah! Detalhe importante: crie metas alcançáveis e reais para evitar a frustração e a autossabotagem!


Veja mais: “Como conversar sobre lembranças ruins e traumas da minha infância”


Expresse seus sentimentos

Comece esse processo com as pessoas que você confia e também com você mesmo. Não fuja dos seus pensamentos, converse com eles, abra um espaço para o diálogo interno.

Depois, vá para o externo. Se posicione, fale o que pensa, compartilhe seus sentimentos, medos, receios, sonhos e alegrias.

Converse com um profissional sobre o trauma, coloque esses sentimentos para fora.

Segurá-los dentro de você apenas aumentará o trauma. Quando estiver preparado, converse sobre a situação com as pessoas importantes da sua vida.

Isso é passado, já aconteceu. Está na sua história, mas não define a sua existência! Pelo contrário, faz parte da força que você tem hoje!

A Inteligência Emocional é uma habilidade essencial para você se conectar com suas emoções, pensamentos e comportamentos. Entenda como gerenciar isso de forma assertiva para alcançar seus sonhos em nosso curso online, Inteligência Emocional – A Base para Construir Sua Vida.



Gostou do artigo? Então, compartilhe em suas redes sociais, com amigos e familiares!

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Você sabe como a meditação pode te auxiliar na busca pelo autoconhecimento? Leia agora e descubra!

Leia Mais ►

Existem algumas atividades altamente recomendadas para a melhora e alívio

Leia Mais ►

Identificar o que está causando essa falta de motivação é o primeiro passo para sair desse sofrimento!

Leia Mais ►

Treinamentos Sbie

DESENVOLVA A
CAPACIDADE QUE PESSOAS REALMENTE FELIZES E QUE VERDADEIRAMENTE LIDERAM SUAS VIDAs POSSUEM.
A HABILIDADE INDISPENSÁVEL PARA TODO PROFISSIONAL
QUE TRABALHA COM DESENVOLVIMENTO HUMANO.

Inscreva-se para receber nossa newsletter