Inscreva-se para receber nossa newsletter

A Inteligência Emocional é um grande diferencial e se faz cada vez mais necessária devido às rápidas mudanças globais.

Conceito de Inteligência Emocional foi definido academicamente pela primeira vez em 1990, pelos psicólogos e pesquisadores estadunidenses Peter Salovey e John D. Mayer, a partir do artigo “Emotional Intelligence”, publicado na revista Imagination, Cognition and Personality”.

O psicólogo, escritor e Ph.D. de Harvard, Daniel Goleman, considerado o pai da Inteligência Emocional, foi responsável por popularizar o conceito com o livro Inteligência Emocional, publicado em 1995.

Nesse artigo, a Inteligência Emocional é definida como “subconjunto da inteligência social que envolve a capacidade de monitorar as próprias emoções e a dos outros, e usar essa informação para guiar o pensamento e ações”.

A partir de uma visão mais recente e atualizada, a Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional, define essa competência como um somatório de habilidades que tornam as pessoas capazes de administrar os obstáculos que a vida moderna impõe, de modo a aceitar e perceber as emoções e direcioná-las para obter melhores resultados em diferentes esferas da vida.

Hoje, a Inteligência Emocional é um grande diferencial e se faz cada vez mais necessária devido às rápidas mudanças globais.

As grandes corporações já estão introduzindo e apostando no fator humano como agente fundamental para o alcance da alta performance, seja para a vida pessoal ou profissional.


Veja mais: Afinal, o que é Inteligência Emocional?


Por que a Inteligência Emocional é importante para empresas?

Com o ritmo cada vez mais impetuoso nos processos corporativos e as mudanças que ocorrem de forma muito rápida, é essencial acompanhar este compasso com um quadro de profissionais capazes de se automotivar, manter o foco, que possuam flexibilidade e dinamismo.

É crescente a valorização da Inteligência Emocional nas principais organizações mundiais e, mais do que nunca, headhunters buscam nos processos seletivos profissionais que sabem direcionar suas competências emocionais para atingir resultados.

A contratação de profissionais costuma ocorrer pelas suas competências intelectuais e técnicas, e as demissões giram em torno das dificuldades de relacionamento.

Ao aplicar ferramentas da Inteligência Emocional, é possível avaliar a capacidade que um profissional tem para agir de maneira competente em relação às emoções, identificando sua capacidade de reconhecer as próprias emoções e as das outras pessoas.

Essa característica é responsável por aumentar a empatia e eliminar ruídos na comunicação que podem comprometer resultados.

Os principais benefícios da Inteligência Emocional para a carreira

  • Desenvolvimento do indivíduo para sua máxima performance;
  • Capacidade de autogestão;
  • Direcionamento coerente e assertivo;
  • Capacidade para alinhar escolhas cotidianas com valores e propósito;
  • Detectar perfis de Inteligência Emocional e aptidões.

A Inteligência Emocional: a base que garante a manutenção e o crescimento dos negócios

A IE é fundamental para promover a autorregulação no quadro de funcionários que aumentam o desempenho e a capacidade da autogestão.

Por meio de estratégias específicas, é possível identificar as necessidades de aperfeiçoamento e realizar um planejamento eficaz com intuito de executar um plano de desenvolvimento.

No atual cenário, a cultura da organização merece ainda mais destaque.

Não somente os colaboradores precisam ser flexíveis, as empresas também precisam estar atentas para manter o ambiente corporativo propício, dando espaço para o profissional, empoderando equipes e desenvolvendo fatores motivacionais que demonstrem a preocupação da empresa em relação ao bem-estar e evolução dos seus funcionários.

A Inteligência Emocional é um fator de suma importância nas organizações contemporâneas e, quando implementada com assertividade, é a base para o sucesso financeiro e profissional das organizações.

Alinhar as emoções a serviço de um objetivo é fundamental para gerar automotivação e estimular a criatividade.

Profissionais que possuem essa capacidade tendem a ser mais produtivos e eficazes nas tarefas e projetos que desenvolvem.

Principais características de pessoas emocionalmente inteligentes

  • Possuem a consciência sobre suas habilidades e pontos que precisam ser desenvolvidos;
  • Nutrem a autoconfiança necessária para agir;
  • Desenvolvem a capacidade de empatia;
  • Conseguem suportar distrações se têm um alto grau de concentração;
  • Possuem controle sobre as oscilações emocionais ao longo do dia;
  • Sabem lidar com erros de maneira equilibrada;
  • Conseguem se automotivar;
  • Sabem dizer não.

Desenvolva a Inteligência Emocional da sua empresa

As emoções estão presentes em todos os ambientes e no mundo corporativo não é diferente.

Se você busca melhorar seu time e criar uma cultura empresarial saudável, conheça a Sbie Business e alavanque os resultados da sua empresa.

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Entenda de uma vez o que é a BNCC, quais são as 10 competências socioemocionais estabelecidas e o impacto disso na sociedade.

Leia Mais ►

De forma clara e simples, onde não há consentimento, há assédio. Confira os tipos de assédio e como lidar com essa situação.

Leia Mais ►

Quando uma pessoa não permite que o corpo descanse para recarregar as energias e organizar os pensamentos, a tendência é que ela comece a se sentir esgotada.

Leia Mais ►

Treinamentos Sbie

DESENVOLVA A
CAPACIDADE QUE PESSOAS REALMENTE FELIZES E QUE VERDADEIRAMENTE LIDERAM SUAS VIDAs POSSUEM.
A HABILIDADE INDISPENSÁVEL PARA TODO PROFISSIONAL
QUE TRABALHA COM DESENVOLVIMENTO HUMANO.

Inscreva-se para receber nossa newsletter