Tel: 11 2985-5949
Fale com um consultor pelo WhatsApp

Conheça as principais causas do Transtorno de Personalidade Dependente

Publicado em: 10/08/2017 Por: Equipe SBie

© Depositphotos.com / alenavlad O Transtorno de Personalidade Dependente é caracterizado pela necessidade constante do indivíduo ser cuidado por outras pessoas.

O Transtorno de Personalidade Dependente é caracterizado pela dificuldade de ficar sozinho e pela necessidade constante de ser cuidado, gerando um comportamento submisso e grudento. Trata-se de um transtorno de personalidade ansiosa e dependente, no qual o indivíduo precisa de outras pessoas para obter segurança emocional, apoio e conforto.

O problema geralmente se manifesta no início da idade adulta e pode ser desenvolvido por uma criação superprotetora: indivíduos que cresceram em ambientes de muita dependência, em que os pais fazem tudo pela criança e não deixam ela se frustrar, tendem a apresentar comportamentos como carência afetiva e insegurança emocional.

A origem do Transtorno de Personalidade Dependente pode estar nas relações primárias, e é importante olhar para esses gatilhos internos e entender quais foram as interpretações sobre essas experiências durante a infância.

Principais sintomas do Transtorno de Personalidade Dependente

  • Ansiedade;
  • Insegurança;
  • Tendência a sufocar as pessoas com quem convive;
  • Comportamento submisso;
  • Incapacidade em tomar decisões;
  • Necessidade constante de aprovação;
  • Incapacidade de ficar sozinho;
  • Tendência a ingenuidade;
  • Medo do abandono.

Como ajudar quem sofre de Transtorno de Personalidade Dependente

Procure ajuda especializada

Procurar ajuda médica e psicológica é fundamental para que não surjam outras complicações como Síndrome do Pânico, Transtorno Obsessivo-Compulsivo e Depressão. Quanto mais rápido for o diagnóstico, menores são as chances de o indivíduo desenvolver outros transtornos relacionados.

Ajude-o a entender a importância de se valorizar

Incentive a pessoa a se valorizar mais, fazendo com que ela aprenda a se relacionar consigo mesma e passe a encontrar razões para gostar de sua própria companhia. Explique que é importante escolher as pessoas com quem ela se relaciona a partir do grau de afinidade e desejo de compartilhar momentos, e não apenas para preencher o vazio interior.

Faça o indivíduo enxergar suas próprias habilidades, capacidades, qualidades e o quanto ele é capaz de tomar decisões sem depender de ninguém agindo como muleta e sem depositar a felicidade no outro.

Estabeleça limites

É importante delimitar seu espaço e não permitir que o indivíduo o invada. Fale de forma calma e honesta sobre como você se sente em relação ao problema e explique suas razões.

Incentive o autoconhecimento

O excesso de carência e dependência do outro está na dificuldade de preencher vazios, e isso acontece pela falta de amor próprio. Pessoas que desenvolvem esse tipo de transtorno não se conhecem e, como consequência, não aceitam a maneira como são. A maneira mais assertiva de ajudar esse indivíduo é incentivando-o a buscar autoconhecimento para, assim, deixar de focar nas próprias limitações e passar a se amar.

 

Não perca mais essa grande
oportunidade de mudar sua vida!

Pesquisas constatam que pessoas com alto grau de
Inteligência Emocional são mais realizadas e felizes.