© Depositphotos.com/flint01 Nossas crenças representam todas as ideias que vimos, ouvimos ou concluímos e que, de maneira inconsciente, acabaram se tornando uma verdade absoluta para nós.

Nossas crenças representam todas as ideias que vimos, ouvimos ou concluímos e que, de maneira inconsciente, acabaram se tornando uma verdade absoluta para nós. Tudo o que as pessoas fazem — a forma como elas pensam, sentem e agem — é resultado de suas crenças.

Consequentemente, crenças limitantes acabam criando padrões destrutivos em nosso comportamento. É nessa hora que entra a Inteligência Emocional.

As crenças são como imãs: você crê em uma verdade e ela se torna real. Se você crê que a vida é difícil, ela se torna difícil. Isso acontece porque você está conectado com essa verdade e a vida te trará situações que sejam compatíveis com esta vibração. Nós precisamos nos conectar com aquilo que realmente queremos para nossas vidas.

As pessoas nascem como folhas em branco. As emoções dos pais durante a gestação, as experiências de vida, a educação recebida, o sistema familiar, as ideias transmitidas pelos pais e professores, as interpretações individuais e a convivência com os amigos vão preenchendo essa folha com crenças.

Todos os estímulos recebidos na primeira infância ficam registrado nessa folha, que se torna uma lente com a qual o indivíduo enxerga o mundo. É justamente por conta disso que muitas pessoas agem de formas diferentes em situações idênticas.

Tipos de crenças

  • Hereditárias

É representada por tudo aquilo que o indivíduo ouve dos pais e observa em seu sistema familiar. Frases como “você não faz nada direito”, “você deixa tudo pela metade”, “você nunca vai conseguir ninguém”, “tem que seguir o exemplo do seu irmão” e “você é burro” ficam registradas para toda a vida. O mesmo vale para a vivência de situações que envolvem traição, brigas por dinheiro, excesso ou ausência de regras, relação com a comida e injustiças.

  • Sociais

São as crenças populares impostas pela mídia ou pela sociedade. Alguns exemplos comuns são: “o mundo é perigoso”, “os ricos são mais felizes” e “você só será aceito se for magro”.

  • Pessoais

São as crenças criadas a partir da experiência individual. Elas têm origem hereditária, mas se tornam verdades pelas experiências. Se você foi mandado embora ou não passou no vestibular, pode desenvolver a crença de que não é capaz. Se terminaram o namoro com você, pode acreditar que nunca ninguém vai gostar de você.

Exemplos de crenças limitantes

“Nunca vou conseguir dinheiro suficiente” ou “não tenho dinheiro para nada”;

“Só é possível ganhar dinheiro fazendo coisas erradas”;

“Não tenho tempo para nada”;

“Não sou bom o suficiente”;

“Não sei tudo o que preciso”;

“Não consigo aprender isso”;

“Nunca vou conseguir alcançar meus objetivos ou realizar meus sonhos”;

“Tudo precisa ser perfeito”;

“Não consigo me organizar”;

“Eu não mereço sucesso ou coisas boas”;

“Não sei como resolver esse problema”;

“Eu não posso / não consigo / não sei fazer isso”;

“Sou muito velho para isso”;

“É melhor dar do que receber”;

“Sem trabalho duro não se consegue nada”;

“Os outros precisam mudar para minha vida melhorar”;

“Estou destinado a essa vida e a ser desse jeito porque essa é a situação da minha família e por isso, é a minha”;

“O mundo está em crise, e por isso tudo está muito difícil para mim”;

“Não tenho jeito para isso”;

“Não é possível viver do que se ama”.

O papel da Inteligência Emocional

A Inteligência é uma habilidade única que te permite entender suas crenças emocionais. Para isso, é preciso olhar para a sua história de vida, identificar os sentimentos e padrões de pensamento que estão por trás dos seus comportamentos e rever seus programas emocionais limitantes.

Se você quer entender quais são suas crenças e como elas afetam a sua vida, conheça o Lotus Inteligência Emocional – um treinamento imersivo onde você desenvolverá suas competências emocionais, eliminando as crenças limitantes que te impedem de crescer.

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do brasileiros – 30 milhões de pessoas – sofrem com a dor. Ou seja, precisamos realmente prestar atenção nos sintomas dessa condição e nas causas emocionais que podem influenciar seu surgimento.

Leia Mais ►

Pesquisar online uma reação física qualquer é algo fácil, até automático, certo? Porém, essa “curiosidade” tem limite e quando ele é ultrapassado, surge a hipocondria.

Leia Mais ►

A interação entre fatores genéticos, ambientais e psicológicos podem levar ao desenvolvimento dessa doença silenciosa. Porém, são os fatores psicológicos e emocionais que funcionam como um gatilho para o transtorno vir à tona.

Leia Mais ►

Inscreva-se para receber nossa newsletter