Inscreva-se para receber nossa newsletter

© Depositphotos.com / belchonock A labilidade emocional pode ser definida como uma alterações repentinas e intensas de humor.

A gravidez é um momento muito especial na vida de uma mulher. Além de muita expectativa e transformações, o período traz diversas mudanças na rotina e gera sentimentos como ansiedade, insegurança e medo — todos muito comuns durante a gestação. Mesmo que o bebê tenha sido planejado e seja muito aguardado pelos pais, esperar um filho invariavelmente acaba mexendo com as emoções e transformando a vida da mãe.

As alterações hormonais durante a gravidez aumentam a sensibilidade da mulher, fazendo com que ela enfrente uma verdadeira gangorra emocional e entre em estado de Labilidade Emocional, caracterizado por uma grande “flutuação” de humor.

A Labilidade Emocional não chega a ser considerada um transtorno psicológico, mas é um estado emocional que pode estar ligado a outros quadros, como Transtorno Afetivo Bipolar e Depressão. Nessa situação, a gestante apresenta alterações repentinas e intensas no humor, em que um estado de euforia desproporcional rapidamente pode dar lugar a uma crise de choro compulsiva. Além disso, a pessoa não consegue controlar a intensidade de suas reações.

Rodrigo Fonseca, presidente e fundador da Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional (Sbie), explica que o bebê começa a sentir, interpretar e registrar as emoções da mãe desde o útero. “Durante a gravidez, por mais desejada e tranquila que seja, é comum que a mulher sinta medo e ansiedade. Caso a experiência do feto dentro do útero da mãe tenha sido traumática, a lembrança inconsciente do período gestacional vem à tona durante sua própria gravidez”, explica.

Para evitar essas drásticas e repentinas alterações de humor, é importante saber lidar com todas as transformações corporais e garantir que o estado emocional não prejudique o bebê.

Dicas para evitar o estado emocional abalado na gravidez

Vença seus medos

É muito comum que mães de primeira viagem sintam medo, especialmente no início da gestação. As angústias giram em torno de preocupações relacionadas ao medo de se tornar mãe e de não dar conta da nova rotina, além da apreensão a respeito da saúde do bebê. Uma dica para vencer esses medos é falar sobre suas inseguranças com outras mães, com o companheiro e com amigas próximas. Colocar para fora todos seus questionamentos traz não apenas alívio, mas sugestões que podem ajudar durante o início dessa nova fase.

Crie um laço com seu bebê

Converse sempre com o bebê, mesmo durante a gestação. Isso faz com que você comece a criar uma relação positiva, que transmita coragem e confiança para ambos. Quanto mais próxima do seu bebê você estiver, mais segura você se sentirá.

Controle a ansiedade

As emoções ficam mais intensas nos últimos três meses de gravidez, pois são muitas coisas para lidar ao mesmo tempo: cansaço físico, dificuldade para dormir, irritação, detalhes sobre o enxoval, o tipo de parto, a licença maternidade, a vontade de ver logo o bebê, entre muitas outras preocupações.

É comum que a ansiedade tome conta da mulher que, ao mesmo tempo em que está radiante pelo momento que está se aproximando, está exausta e irritada. A dica é focar a atenção nos preparativos para a chegada do bebê. Encontre alternativas e estratégias para lidar com as dificuldades: nesse momento o importante é facilitar a sua vida para não perder energia desnecessária.

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Caso você ainda não conheça o significado do termo “mindset”,

Leia Mais ►

Treinamentos Sbie

DESENVOLVA A
CAPACIDADE QUE PESSOAS REALMENTE FELIZES E QUE VERDADEIRAMENTE LIDERAM SUAS VIDAs POSSUEM.
A HABILIDADE INDISPENSÁVEL PARA TODO PROFISSIONAL
QUE TRABALHA COM DESENVOLVIMENTO HUMANO.

Inscreva-se para receber nossa newsletter