© Depositphotos.com / yacobchuk1 Se sentir mal na presença de outra pessoa pode estar relacionado com a falta de autoconhecimento e a dificuldade de entender as próprias emoções.

Muitas pessoas já passaram por uma situação em que sentiram antipatia imediata por alguém, um tipo de aversão que não pode ser racionalmente explicado. Em geral, esse sentimento ocorre com um indivíduo que acabamos de conhecer, e pode estar associado a um mecanismo de defesa: é provável que a pessoa em questão desperte a lembrança de algo ou alguém, causando uma sensação de desconforto.

A existência de questões internas que não foram bem resolvidas é a principal responsável por gerar este tipo de resposta negativa e mal-estar em relação ao outro. Isso ocorre devido a fatores como:

  • Personalidade;
  • Tom de voz;
  • Aparência;
  • Tipo de humor;
  • Competição;
  • Histórico emocional.

Ao se relacionar, os seres humanos despertam seu conteúdo emocional e desencadeiam memórias de emoções que foram vividas no passado. Um exemplo: uma pessoa que foi criada por uma mãe muito exigente e controladora pode se irritar ao ter que lidar com alguém que possua uma personalidade semelhante.

Como essa sensação de aversão é desencadeada?

Se sentir mal na presença de outra pessoa é um desconforto que pode ser explicado pela falta de autoconhecimento e pela dificuldade de entender as próprias emoções. Para evitar esse tipo de situação, é importante refletir sobre a sua responsabilidade e compreender sua própria história de vida, bem como seus padrões de comportamentos e crenças limitantes. Dessa forma, é possível lidar com diferentes tipos de personalidade sem conflitos.

Principais gatilhos que causam essa “cisma”

  • Medo;
  • Inveja;
  • Competitividade;
  • Ciúmes;
  • Insegurança.

Dicas para evitar esse tipo de sensação?

Desenvolva sua capacidade de empatia

Ter capacidade de se colocar no lugar do outro e entender os traços da sua personalidade são atitudes fundamentais para cultivar bons relacionamentos e não entrar em atritos desnecessários. Tenha consciência de que cada um possui sua própria bagagem emocional e história de vida.

Aprenda a respeitar as diferenças

Todos os seres humanos possuem qualidades e defeitos, carregando pontos positivos e negativos em sua personalidade. Por esse motivo, conviver e respeitar as diferentes maneiras de ser é importante para criar uma sociedade mais igualitária e saudável.

Entenda seus próprios gatilhos

Reflita sobre os motivos que fazem você se sentir mal na presença de determinada pessoa e identifique quais sensações ela causa em você. Muitas vezes, a causa desse desconforto reside em questões internas que precisam ser trabalhadas. Por mais que essa pessoa seja difícil de conviver, é importante que você entenda os motivos que levam você a se afetar tanto com isso.

Lembre-se: as pessoas são espelhos que refletem o que somos e, quando nos sentimos mal diante da presença do outro, é possível que estejamos identificando características que estamos reprimindo em nós mesmos — ou que gostaríamos de ser.

 

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do brasileiros – 30 milhões de pessoas – sofrem com a dor. Ou seja, precisamos realmente prestar atenção nos sintomas dessa condição e nas causas emocionais que podem influenciar seu surgimento.

Leia Mais ►

Pesquisar online uma reação física qualquer é algo fácil, até automático, certo? Porém, essa “curiosidade” tem limite e quando ele é ultrapassado, surge a hipocondria.

Leia Mais ►

A interação entre fatores genéticos, ambientais e psicológicos podem levar ao desenvolvimento dessa doença silenciosa. Porém, são os fatores psicológicos e emocionais que funcionam como um gatilho para o transtorno vir à tona.

Leia Mais ►

Inscreva-se para receber nossa newsletter