© Depositphotos.com / alebloshka Quem sofre de complexo de superioridade na verdade é uma pessoa muito insegura

O último final de semana foi marcado por um triste acontecimento envolvendo a filha dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank, a pequena Titi, de 4 anos. O vídeo de uma socialite causou revolta e repulsa dos brasileiros. Nele, Day McCarthy, disparou diversas ofensas racistas contra a criança e os comentários preconceituosos chocaram as redes sociais.

O ator Bruno Gagliasso registrou queixa na última segunda-feira (27) por injúria racial e a polícia do Rio afirma que a socialite, que atualmente mora no Canadá, responderá pelo crime. Não é a primeira vez que ela dispara ofensas contra crianças de pessoas famosas nas redes sociais. Os filhos dos apresentadores Roberto Justus e Ana Hickmann.

Ao ser entrevistado por diversas emissoras, o pai de Titi disparou: “Eu senti, eu acho que o que qualquer ser humano decente sentiria, né? É tristeza. É uma sensação de impotência. Covardia, né? É uma criança”, disse o ator. No vídeo, Day McCarthy, faz comentários absurdos sobre o cabelo e à cor da criança. Titi foi adotada pelo casal de atores em 2016, no Malawi, África, e não é a primeira vez que a menina é vítima de racismo.

Qual a motivação para um discurso tão ofensivo?

O que chama atenção, não apenas no caso da menina Titi, mas também em outras ocasiões em que a socialite fez manifestações desta espécie, é a indignação que ela sente pelo fato da menina receber elogios que ela não recebe nas redes sociais e, fora isso, a necessidade que ela apresenta em diminuir outras pessoas para se sentir superior.

Quem sofre de complexo de superioridade na verdade é uma pessoa muito insegura e, por mais que ela afirme o contrário ou que utilize artifícios para como aparecer nas redes sociais com celebridades internacionais, essa pessoa possivelmente duvida de sua própria capacidade e das suas competências e por conta disso, ataca e ofende para chamar atenção. Se sentir superior é, na realidade um mecanismo de defesa para camuflar sua baixa autoestima e sua necessidade em ser aceita.

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do brasileiros – 30 milhões de pessoas – sofrem com a dor. Ou seja, precisamos realmente prestar atenção nos sintomas dessa condição e nas causas emocionais que podem influenciar seu surgimento.

Leia Mais ►

Pesquisar online uma reação física qualquer é algo fácil, até automático, certo? Porém, essa “curiosidade” tem limite e quando ele é ultrapassado, surge a hipocondria.

Leia Mais ►

A interação entre fatores genéticos, ambientais e psicológicos podem levar ao desenvolvimento dessa doença silenciosa. Porém, são os fatores psicológicos e emocionais que funcionam como um gatilho para o transtorno vir à tona.

Leia Mais ►

Inscreva-se para receber nossa newsletter