Inscreva-se para receber nossa newsletter

© Depositphotos.com / nastia1983 O amor próprio é essencial para manter um relacionamento saudável e equilibrado com outra pessoa.

Ter amor próprio é fundamental para manter um relacionamento amoroso harmonioso e saudável. Isso porque uma pessoa que sabe reconhecer e admirar suas próprias qualidades não se abala tão facilmente com a falta de segurança, ciúmes ou possíveis críticas do parceiro. Para te ajudar nessa tarefa, a Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional (SBie) separou quatro dicas para desenvolver o amor próprio, confira:

Dicas de Inteligência Emocional ter amor próprio no relacionamento

Desenvolva autoconhecimento

A falta de amor próprio está intimamente relacionada com a falta de autoconhecimento. É importante que a pessoa tenha consciência de suas características positivas e saiba lidar com seus defeitos, tentando sempre melhorá-los. Dessa maneira, é possível valorizar suas potencialidades e minimizar as próprias limitações. Afinal, como é possível se amar se você não reconhece nada de positivo em você? É nesse contexto que a falta de amor próprio vai se alimentando e prejudica os relacionamentos.

Não se afaste da sua essência

A insegurança sempre estará presente na vida dos seres humanos e, em uma relação amorosa, isso não é diferente. O grande desafio consiste justamente em conseguir driblar esse sentimento por meio da autoconfiança e da autoestima. Muitas vezes, uma pessoa apaixonada pode perder sua própria personalidade dentro da relação, e acaba se afastando da própria essência.

Abandonar a própria individualidade e deixar que a vida passe a girar em torno do outro é um dos erros mais comuns cometidos por pessoas que sofrem com falta de amor próprio. Para que uma relação seja saudável, é preciso manter seu próprio espaço, suas relações familiares, seus amigos e ter tempo para investir em seus gostos e vontades pessoais. Esses aspectos são tão importantes quanto o relacionamento em si.

Identifique crenças limitantes

A dificuldade em cultivar o amor próprio é resultado de padrões que começam a ser desenvolvidos ainda na infância. O primeiro contato que um indivíduo tem com o amor é por meio da mãe: se durante a gestação ou nos primeiros anos de sua vida, a pessoa interpretou que estava sendo rejeitada ou entendeu que não era amada por sua mãe, ela poderá crescer com dificuldades de cultivar o amor próprio — um problema que se refletirá em seus relacionamentos na vida adulta.

Identificar o que gerou esta crença negativa é fundamental para fazer uma reavaliação e perceber se ela realmente faz sentido. Ter entendimento da sua própria história de vida e conhecer a história da sua família são eficientes formas de curar essa dor e ressignificar possíveis interpretações de rejeição e falta de amor que estão registradas no seu inconsciente.

Desenvolva sua Inteligência Emocional

Para transformar seus padrões limitantes e entender quais gatilhos geram crenças limitantes e prejudicam suas relações, não deixe de conhecer o Método LOTUS — um treinamento de três dia que já transformou a vida de milhares de pessoas.

 

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Hoje, vamos compartilhar com você algumas dicas para economizar, e

Leia Mais ►

Hoje, em comemoração do Dia Nacional da Consciência Negra, nós

Leia Mais ►

Treinamentos Sbie

DESENVOLVA A
CAPACIDADE QUE PESSOAS REALMENTE FELIZES E QUE VERDADEIRAMENTE LIDERAM SUAS VIDAs POSSUEM.
A HABILIDADE INDISPENSÁVEL PARA TODO PROFISSIONAL
QUE TRABALHA COM DESENVOLVIMENTO HUMANO.

Inscreva-se para receber nossa newsletter