Síndrome de Procusto: o que é e como identificá-la?

Publicado em: 12/03/2019 Por: Redação SBie

© Depositphotos.com/inueng Para evitar que se sintam inferiores, pessoas que sofrem com essa síndrome acabam tendo comportamentos que visam desqualificar, humilhar e menosprezar os outros.

No ambiente corporativo, na faculdade, na vida social e até em casa é comum que algumas pessoas se sintam ameaçadas por outras mais capacitadas. Para evitar que se sintam inferiores, elas acabam tendo comportamentos que visam desqualificar, humilhar e menosprezar os outros. Essas pessoas sofrem com a Síndrome de Procusto.

O Mito de Procusto

Apesar do mito de Procusto não ser muito conhecido, vale dizer que é sem dúvidas um dos mais sombrios. Originado na mitologia grega, Procusto era um gigante que trabalhava em uma estalagem nas altas colinas de Ática, onde oferecia hospedagem para os viajantes. No entanto, sob o tetos simpáticos que convidavam ao descanso e ao conforto, se escondia um segredo terrível.

Procusto tinha uma cama de ferro, na qual convidava seus hóspedes a se deitarem. À noite, enquanto dormiam, ele aproveitava para amordaçar e amarrar suas vítimas. Se a pessoa fosse mais alta e seus pés, mãos ou cabeça não coubessem exatamente nas dimensões da cama, Procusto os cortava. No contrário, se a pessoa fosse menor, ele quebrava seus ossos para ajustar as medidas.

Nunca nenhum viajante se adaptava a cama, porque, secretamente, Procusto possuía duas versões de tamanhos diferentes, e armava para que seu hóspede nunca coubesse no leito. O gigante manteve este terror por muito tempo até ser capturado por Teseu, que o condenou ao mesmo terror que ele desferia aos seus convidados – prendeu-o à sua própria cama e cortou-lhe a cabeça e os pés.

O mito do leito de Procusto é muitas vezes utilizado como uma metáfora para situações em que se pretende impor um determinado padrão ou querer a todo o custo obrigar que algo encaixe numa matriz pré-estabelecida ou pré-determinada, e, por isso, representa a intolerância humana.

O que é a Síndrome de Procusto?

A síndrome de Procusto faz referência às pessoas que não hesitam em discriminar e até mesmo em perseguir quem é superior a elas em talento e habilidades. São pessoas que não progridem e nem deixam os outros progredirem, com perfis frustrados ou autoestimas muito frágeis, e que estão presentes em muitos ambientes do nosso dia a dia.

Alguns sinais da Síndrome de Procusto são:

— Não comemorar o sucesso e as conquistas dos colegas

A insegurança e o medo de ser superado pelos outros são fatores que contribuem para estimular essa síndrome. Ao perceber alguma vitória que não a sua, a pessoa se sente extremamente ameaçada e não consegue comemorar algo que não seja feito por ela.

Esse tipo de atitude impede o crescimento da carreira do próprio indivíduo e um maior aproveitamento do sucesso dos colegas.

— Aversão a desafios

Um ambiente desafiador pode evidenciar quem sofre com esse mal. Por medo de serem superadas por outros colegas, pessoas que sofrem com a síndrome não gostam de se expor a certas situações que possam revelar suas fraquezas ou inferioridades.

— Boicotamento de ideias e desmotivação dos outros

O conflito de ideias é algo saudável, pois gera crescimento e inovação de pensamentos. Porém, é imprescindível que esses conflitos sejam feitos com uma intenção construtiva e de colaboração.

Uma pessoa que sofre com essa síndrome boicota ideias e desmotiva os outros com a intenção de diminuí-los. Como consequência, quando um profissional desmotiva os outros por questão de insegurança pessoal, ele acaba prejudicando a equipe como um todo.

— Age de maneira ríspida frente às opiniões alheias

Por se sentirem ameaçadas, pessoas com a síndrome de Procusto não aceitam as opiniões alheias. Além disso, por causa dessa insegurança que sentem, buscam fazer as ideias de outros parecerem absurdas.

O papel das emoções na Síndrome de Procusto

Pessoas que sofrem com essa síndrome vivem em meio a uma contínua frustração e contam com uma pequena sensação de controle das situações. Por trás das suas palavras se evidenciam um verdadeiro egocentrismo e um pensamento inflexível e extremamente hostil.

São perfis de autoestima extremamente frágil – por ser muito baixa ou, pelo contrário, por ser exagerada. Não possuem o menor controle sob suas emoções: tomam como ofensa as capacidades e acertos dos outros, tem um medo exacerbado das mudanças e possuem uma postura/posição irracional.

Por isso, pessoas que são afetadas pela Síndrome de Procusto, na verdade, são pessoas que não sabem lidar com as próprias emoções. Desenvolver sua Inteligência Emocional é uma ótima solução para se livrar das amarras da inveja e do sentimento de ameaça quando em frente à alguém mais capacitado.

Se você se identificou com essa síndrome ou conhece alguém que tenha, não se preocupe: o Lotus Inteligência Emocional é um treinamento imersivo que proporciona um mergulho para dentro de você e um entendimento profundo à respeito das suas emoções!

Translate »