Tel: 11 2985-5949
Fale com um consultor pelo WhatsApp

O que é carência afetiva e como tratar?

Publicado em: 02/05/2016 Por: Equipe SBie
mulher carente

A carência afetiva é caracterizada por uma forte dependência emocional por outra pessoa.

O carinho e o afeto representam a capacidade que o ser humano tem de amar, aprovar e aceitar o outro. Dar carinho é tão importante quanto receber: segundo pesquisa do Ibope, 28% da população brasileira considera não ter recebido carinho na vida, enquanto 21% afirma jamais ter expressado carinho a qualquer outra pessoa. Esses números explicam porque existem tantas pessoas que sofrem de carência afetiva.

A carência afetiva é caracterizada por uma dependência emocional extrema, na qual uma pessoa precisa da outra para se sentir feliz e amada. Esta condição se torna um peso para os envolvidos, uma vez que nenhum companheiro é capaz de suprir os problemas internos de uma pessoa.

Como é desenvolvida a carência afetiva?

A qualidade das relações primárias é o que determina a capacidade de dar e receber carinho na vida adulta. Crianças que não receberam carinho suficiente ou foram rejeitadas e abandonadas costumam ter carência afetiva, pois não aprenderam a receber ou dar carinho. Isso pode acontecer tanto em uma situação real ou por interpretação da criança diante de algum fato traumático.

O excesso de carinho e cuidado também pode desencadear a carência afetiva. Isso porque pessoas que cresceram com muita dependência dos pais tendem a sentir que não são capazes de fazer nada sozinhas, inclusive amar a si mesmas. Como consequência, essas pessoas condicionam sua felicidade aos outros.

O maior problema da carência afetiva é que, quanto menos uma pessoa pratica o ato de dar carinho, mais difícil se torna para ela ser carinhosa no futuro. Isso acontece porque esta pessoa acaba se fechando emocionalmente. Portanto, se você não sabe dar e receber carinho, cuide das suas dores e livre-se dessa dependência que acaba com tantas relações.

Sintomas da carência afetiva

Pessoas carentes possuem diversas características em comum, que mostram relações de dependência e necessidade. As principais são:

– Extrema dependência do outro para ser feliz;

– Submissão e hábito de aceitar qualquer condição por medo de ficar sozinha;

– Dificuldade de manter relacionamentos longos, pois os parceiros não suportam o fardo de ter que fazer o outro feliz o tempo todo;

– Excesso de ciúmes e controle sobre o outro;

– Tendência a sufocar o parceiro e a abandonar seus planos pessoais para viver a vida do outro;

– Falta de critérios para se relacionar, pois qualquer coisa é melhor que ficar sozinho;

– Hábito de se comparar com outras pessoas e se sentir inferior a elas;

– Excesso de cobrança em seus relacionamentos, inclusive com amigos e familiares;

– Necessidade de chamar a atenção das pessoas;

– Hábito de se fazer de vítima para que o outro se comova.

Como tratar a carência

Aprenda a ficar sozinho

Antes de se relacionar com uma pessoa, aprenda a se relacionar com você, a gostar da sua companhia e a preencher seu vazio interior. Seu parceiro deve ser escolhido a partir do desejo de estar acompanhado, e não da necessidade de suprir suas carências.

Saiba reconhecer o amor

As pessoas associam o amor a um relacionamento a dois, mas existem tantas outras formas e expressões de amor: pais, irmãos, filhos, amigos, colegas de trabalho. Perceba quantas coisas eles fazem para lhe agradar, para suprir suas necessidades básicas, para lhe ver sorrindo e para que você se sinta especial.

As pessoas têm diferentes formas de demonstrar o amor, que vão muito além do “eu te amo”. O amor pode vir por meio da sua comida predileta ou pelo cuidado. Aceite a forma como as pessoas amam e comece a reconhecer o amor em pequenos movimentos.

Ame-se!

Você é capaz de amar outra pessoa, com tudo o que ela tem de positivo e negativo. Mas você também consegue amar a si mesmo, da forma como você é neste exato momento?

Aprenda a gostar de você, conheça as suas qualidades, aprenda a lidar com suas limitações e sinta-se bem com isso. Nutra o amor próprio e perceba como a necessidade pelo outro diminui.

Reconheça-se

Reconheça seu valor, suas conquistas, seu papel no ambiente de trabalho, em casa e no mundo. Dê feedbacks e presentes a você, agrade-se, mime-se. Dê a você tudo aquilo que busca no outro, desde um simples elogio até uma viagem de férias.

A carência afetiva está enraizada no desejo de suprir vazios interiores, por falta de amor próprio. Se você quer começar a se amar, precisa olhar para você e para sua história de vida e nós sabemos como lhe ajudar. Conheça o Método LOTUS e comece uma história de amor com você, sua vida nunca mais será a mesma!

Imagem: © Depositphotos.com / Wavebreakmedia

Não perca mais essa grande
oportunidade de mudar sua vida!

Pesquisas constatam que pessoas com alto grau de
Inteligência Emocional são mais realizadas e felizes.