© Depositphotos.com / focuspocusltd O consumo excessivo de álcool pode fazer com que o indivíduo deixe de realizar outras tarefas e abandone interesses

O consumo excessivo de álcool afeta diretamente no reconhecimento as emoções e leva à perda da Inteligência Emocional – é o que aponta um estudo realizado pela Universidade de São Paulo. A pesquisa foi feita pela equipe de Saúde da Faculdade de Medicina, em Ribeirão Preto, e analisou os pacientes que fazem tratamento contra o álcool e também voluntários saudáveis.

A psicóloga e pesquisadora Mariana Donadon, diz que os participantes apresentaram dificuldade para reconhecer as emoções no rosto de outras pessoas e que essa característica impede comportamentos e reações adequadas ao ambiente.

Diferente do grupo saudável, os indivíduos que são dependentes de álcool cometeram mais erros no reconhecimento de emoções como alegria, medo, tristeza e nojo. Além da dificuldade em reconhecer e entender as emoções, a pesquisa também mostrou que os efeitos neurotóxicos do álcool afetam circuitos neurais o que pode ocasionar reações muito inadequadas. Isso gera um círculo vicioso: pela falta de Inteligência Emocional, os dependentes acabam utilizando mais a bebida para fugir de qualquer situação considerada desconfortável.

Confira os principais sintomas do alcoolismo

  • Grande necessidade de ingerir álcool
  • Aumento sucessivo das doses por conta do efeito cada vez menor
  • Abstinência quando o consumo é interrompido de forma drástica
  • Deixar de realizar outras tarefas e abandonar interesses

Quais fatores levam uma pessoa a desenvolver o vício em álcool?

  • Fatores genéticos e padrões familiares
  • Traumas na infância como a rejeição, por exemplo
  • Desequilíbrio emocional
  • Baixa autoestima
  • Insegurança
  • Influências externas

Como combater o abuso de álcool

O primeiro passo para combater o alcoolismo é perceber e assumir o vício. É preciso admitir que não se trata apenas de um abuso e sim uma dependência. A falta de Inteligência Emocional agrava ainda mais o quadro e, geralmente, faz com que o indivíduo seja levado pelo impulso e pela necessidade de suprir suas necessidades.

Quando não desenvolvemos o entendimento de como cada emoção interfere nas nossas ações e comportamentos, acabamos criando maneiras inconscientes de extravasar. Para aprender a controlar vícios, é preciso aprender entender, lidar e controlar as próprias emoções.

Caso você esteja passando por um processo com este ou conviva com alguém que esteja, conheça o Método LOTUS e aprofunde o conhecimento de suas emoções. Trata-se de um treinamento que propõe o entendimento dos gatilhos que levam ao desenvolvimento de vícios.

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do brasileiros – 30 milhões de pessoas – sofrem com a dor. Ou seja, precisamos realmente prestar atenção nos sintomas dessa condição e nas causas emocionais que podem influenciar seu surgimento.

Leia Mais ►

Pesquisar online uma reação física qualquer é algo fácil, até automático, certo? Porém, essa “curiosidade” tem limite e quando ele é ultrapassado, surge a hipocondria.

Leia Mais ►

A interação entre fatores genéticos, ambientais e psicológicos podem levar ao desenvolvimento dessa doença silenciosa. Porém, são os fatores psicológicos e emocionais que funcionam como um gatilho para o transtorno vir à tona.

Leia Mais ►

Inscreva-se para receber nossa newsletter