© Depositphotos.com / Olivier26 Fazer uma linha do tempo pessoal pode proporcionar o autoconhecimento, possibilitar um melhor entendimento das causas para os problemas emocionais, promover resultados positivos nos relacionamentos e permitir a ressignificação de traumas.

Ao longo da vida, as pessoas vão guardando e acumulando experiências dolorosas ou mal resolvidas que trouxeram sofrimento e desencadearam emoções negativas como medo, raiva e tristeza. Muitas vezes, basta revisitar algum lugar que desperte a lembrança de uma memória dolorosa para que todos esses sentimentos venham à tona.

É justamente para dar luz sobre essas questões internas que, ao acessar as lembranças que estão gravadas no subconsciente, é possível identificar elementos que causam bloqueios, fomentam padrões de comportamentos prejudiciais e trazem dificuldades emocionais. Nesse contexto, traçar uma linha pessoal é uma forma muito efetiva para conseguir entender e honrar sua própria história de vida.

A construção de uma linha do tempo pessoal permite que o indivíduo revisite memórias importantes e eventos marcantes do passado. Assim, ele consegue deixar para trás os padrões de comportamento que prejudicam seus relacionamentos em várias esferas da vida, ressignificando traumas e trazendo aprendizado para o momento presente.

Benefícios do exercício da linha do tempo pessoal

  • Proporciona o autoconhecimento;
  • Possibilita o entendimento das causas para os problemas emocionais;
  • Promove resultados positivos nos relacionamentos e nos padrões de comportamento;
  • Permite a ressignificação de traumas e promoção de lembranças positivas;

Como fazer uma linha do tempo pessoal

Em uma folha, coloque em o ano do seu nascimento e todos os anos que se passaram até agora. Tente lembrar de todos os eventos marcantes que aconteceram nesse período, desde a infância até a vida adulta. Não se preocupe caso não lembre de detalhes específicos, e tente prestar atenção nas conexões, anotando-as.

O ponto mais importante deste exercício é visualizar todos os aspectos positivos e negativos dessas memórias, entendendo a forma como elas agem no seu comportamento e influenciam em seus relacionamentos e personalidade. Tente se conectar a quem você era em cada ano da sua vida, trazendo autoconhecimento a respeito de quem você realmente é atualmente e quais são suas principais qualidades e aspectos que precisam ser melhorados.

Lembre-se: ao alimentar crenças limitantes e ter dificuldade para ressignificar memórias traumáticas, você está prejudicando sua vida profissional e pessoal. Desenvolva sua Inteligência Emocional e seu autoconhecimento, duas habilidades que permitem que você acesse suas emoções e as compreenda de forma a viver de maneira mais equilibrada, com mais autoestima, confiança e alegria.

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do brasileiros – 30 milhões de pessoas – sofrem com a dor. Ou seja, precisamos realmente prestar atenção nos sintomas dessa condição e nas causas emocionais que podem influenciar seu surgimento.

Leia Mais ►

Pesquisar online uma reação física qualquer é algo fácil, até automático, certo? Porém, essa “curiosidade” tem limite e quando ele é ultrapassado, surge a hipocondria.

Leia Mais ►

A interação entre fatores genéticos, ambientais e psicológicos podem levar ao desenvolvimento dessa doença silenciosa. Porém, são os fatores psicológicos e emocionais que funcionam como um gatilho para o transtorno vir à tona.

Leia Mais ►

Inscreva-se para receber nossa newsletter