Alienação parental: como lidar com o problema após a separação

Publicado em: 29/11/2017 Por: Redação SBie

© Depositphotos.com / Goodluz A Síndrome de Alienação Parental (SAP) acontece quando um dos genitores afasta a criança do pai ou da mãe.

O que fazer quando um casal está em conflito e envolve os filhos na briga? Esse é um tema que impacta muitas famílias que enfrentaram um divórcio ou estão passando por um processo de separação. Mais comum do que se imagina, a alienação parental pode causar danos para saúde emocional da criança e desencadear feridas emocionais.

A Alienação Parental foi caracterizada como uma síndrome pelo psicólogo americano, Richard Gardner e acontece quando o pai ou a mãe usa o filho como instrumento de vingança.

A Síndrome de Alienação Parental (SAP) acontece quando um dos genitores afasta a criança do pai ou da mãe. Essa prática, acontece com cerca de 80% dos casos de divórcio.

No Brasil, a justiça dá às mães a guarda das crianças em cerca de 90% dos casos. Porém, o número de guardas compartilhadas cresceu nos últimos anos, no ano 2000 era de 2,7% e em 2010, esse número deu um salto para 5,5%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No Brasil, o assunto ganhou destaque com a promulgação da lei 12.318, em agosto de 2010, que considera o ato de alienação parental uma quebra dos direitos fundamentais da criança e do adolescente.

Como a Inteligência Emocional pode evitar a Alienação Parental

O divórcio é um rompimento que afeta todos os membros da família, não tem jeito. Porém, é possível minimizar os impactos negativos quando esse desligamento é conduzido de forma amigável e com maturidade emocional. Por mais dolorido que seja esse momento, com diversas modificações na rotina e na própria estrutura familiar, é essencial que a decisão de se separar não afete o convívio e a saúde do relacionamento entre pais e filhos.

A primeira atitude que precisa ser tomada pelo ex-casal para que a separação não cause tantos danos emocionais aos filhos, é entender que é preciso cuidado e atenção para não transferir a frustração para as crianças.

Todos precisam se esforçar para se adaptar a uma nova rotina e encontrar novas maneiras de conviver. Portanto, se queixar do(a) ex na frente das crianças é um comportamento extremamente nocivo e o término da relação não pode afetar o vínculo entre país e filhos.

A separação é um período complicado e doloroso, porém o desenvolvimento da Inteligência Emocional proporciona a formação de um repertório para lidar de maneira adequada com todos os sentimentos negativos que são desencadeados. Caso você esteja passando por um período assim, conheça o Método LOTUS e aprenda a reconhecer e canalizar suas emoções e tenha uma vida mais equilibrada e feliz.

Translate »