© Depositphotos.com / VectorStory Entende-se por gestão financeira pessoal o hábito de organizar todas as receitas e despesas

Ter uma gestão financeira pessoal para controle de gastos é uma das formas mais básicas e necessárias de administrar seu dinheiro. Isso porque, controlar despesas não é somente uma maneira de deixar as contas em dia ou conseguir comprar algo, mas também uma forma de se organizar e se planejar visando ações futuras.

Entende-se por gestão financeira pessoal o hábito de organizar todas as receitas e despesas em um período – geralmente por mês -, considerando tanto as contas fixas quanto as despesas gerais.

Falar de gestão financeira remete não apenas ao dinheiro, e sim à saúde mental e emocional de quem se organiza para controlar os gastos. É uma forma de evitar desde estresses no fim do mês por causa de contas da casa, até grandes tragédias como falência.

Não importa a quantia de dinheiro que você administra, a quantidade de bens que você possui ou o montante necessário para que você viva a vida de forma tranquila que nem sempre sonhou. A falta de controle, emocional e financeiro, pode abalar suas finanças e chegar a resultados drásticos.

Dicas para realizar uma gestão financeira de forma assertiva com a Inteligência Emocional

Conheça sua renda

É de extrema importância que você conheça sua renda real, levando em consideração todos os descontos de impostos, plano de saúde, vales e outros benefícios. Assim, você obtém sua renda líquida e condizente com a realidade.

É válido ressaltar que recebimentos extras que não são constantes, não entram no patamar de renda líquida. Dessa maneira, você não corre o risco de aumentar seu custo fixo por falta de planejamento ou controle.

Saiba qual o seu custo de vida

Liste todos os custos fixos mensais que você possui, seja aqueles que possuem o mesmo valor todos os meses ou aqueles que possuem uma pequena variação, como por exemplo:

  • Água
  • Luz
  • Aluguel
  • Telefone
  • Internet
  • IPTU e IPVA
  • Mensalidades de escola ou faculdade

É importante calcular todos esses gastos fixos por serem uma parte da sua renda que já está comprometida mensalmente. Dessa maneira, fica mais fácil de enxergar qual o valor restante que você possui disponível para outros custos ou investimentos.

Mantenha os pés no chão

Gerenciar riscos é tão importante quanto gerenciar gastos. Para isso, é necessário que você se baseie na realidade e na racionalidade antes de um investimento. Assim como nas decisões da vida, é preciso equilibrar a razão e a emoção antes de mexer com suas finanças. É fundamental que você avalie todas as consequências, balanceando pontos negativos e positivos antes de alguma manobra financeira.

Fuja da ganância

Ambição é uma característica muito importante para quem busca o sucesso. Porém, quando em excesso, torna-se em ganância, impedindo o crescimento e estimulando a vaidade e futilidade. Consequentemente, acaba por interferir também na conta bancária.

Desenvolva sua Inteligência Emocional

Desenvolver sua Inteligência Emocional é fundamental para que você encontre o equilíbrio necessário para encarar a vida financeira com mais segurança, tranquilidade e saúde. Conheça o Método Lotus – um treinamento de imersão que visa atingir seu máximo potencial a partir de uma reflexão acerca de seus comportamentos e como você pode mudá-los.

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do brasileiros – 30 milhões de pessoas – sofrem com a dor. Ou seja, precisamos realmente prestar atenção nos sintomas dessa condição e nas causas emocionais que podem influenciar seu surgimento.

Leia Mais ►

Pesquisar online uma reação física qualquer é algo fácil, até automático, certo? Porém, essa “curiosidade” tem limite e quando ele é ultrapassado, surge a hipocondria.

Leia Mais ►

A interação entre fatores genéticos, ambientais e psicológicos podem levar ao desenvolvimento dessa doença silenciosa. Porém, são os fatores psicológicos e emocionais que funcionam como um gatilho para o transtorno vir à tona.

Leia Mais ►

Inscreva-se para receber nossa newsletter