© Depositphotos.com / flint01 Vivemos na era do desinteresse, onde as pessoas, orgulhosas demais, não demonstram o que sentem e não buscam o que desejam.

O orgulho é um sentimento de satisfação, nos sentimos orgulhosos por alguém ou um feito, por exemplo. É o entusiasmo e admiração por uma felicidade ou conquista na própria vida ou na de alguém; o orgulho é um sentimento de valorização e realização. Mas, como quase tudo na vida, o orgulho também tem seus pontos negativos. Quando exagerado, denota pretensão de superioridade e até arrogância. É um sentimento que pode desencadear muitos problemas nos relacionamentos, já que está associado à dificuldade em ceder e admitir seus erros e defeitos.

O orgulho causa problemas até antes de um relacionamento ser estabilizado. Vivemos na era do desinteresse, onde as pessoas, orgulhosas demais, não demonstram o que sentem e não buscam o que desejam. O ser humano usa máscaras para disfarçar suas vontades e interesses e acabam perdendo o verdadeiro intuito das coisas: ou você se entrega ao amor, ou se rende ao orgulho.

Entre relações efêmeras e passatempos, o risco de quem se doa e de quem se omite é o mesmo. O comportamento humano é instável, assim como relacionamentos. Isso não deve ser um motivo para que você se feche para o amor ou viva uma relação superficial. Orgulho demais pode afastar a felicidade

Dicas para diminuir com o orgulho no relacionamento

Entenda a origem deste comportamento

Faça uma autoavaliação do porque seu orgulho atinge níveis altos o bastante para interferir nos seus relacionamentos. Muitas vezes, as pessoas têm medo de se relacionar com o outro por conta de parceiros antigos que trouxeram dor e sofrimento. É necessário que você entenda que as pessoas são diferentes, assim como o contexto e a relação. Não adianta se estagnar no orgulho por más experiências passadas e se privar de ser feliz com um novo amor.

Pondere os pontos

Se você está no impasse de deixar ou não o orgulho de lado para adentrar em um relacionamento, pondere os pontos negativos e positivos. Às vezes, deixamos muitas situações e oportunidades passarem pela nossa vida por medo. Mas, no final, é melhor arriscar e ter a chance de viver um grande amor, ou simplesmente ignorar e permitir o desencontro? Dar o braço a torcer e se entregar pode ocasionar muitas coisas boas, assim como ruins. Porém, você só vai saber se tentar. É necessário baixar a guarda.

Dê o braço a torcer

É normal que o ser humano se esconda atrás dos muros criados pela própria mente para se defender das frustrações, mesmo que isso aconteça de maneira inconsciente. O orgulho pode não só impedir que um relacionamento comece, mas também destruir um já existente. O problema do orgulho vem quando o homem ou a mulher ficam egoístas demais e não cedem, mesmo estando errados. O relacionamento, que antes era prazeroso, vai se tornando seco, sem vida. Relembre os momentos bons do seu relacionamento e faça um balanço. Avalie se vale a pena ou não continuar brigando e não pedir ou aceitar o perdão.

Desenvolva sua Inteligência Emocional

Se você quer aprender a controlar melhor seu orgulho para aproveitar a vida e o amor de maneira plena, conheça o Método Lotus, um treinamento de imersão que o conduzirá a uma reflexão profunda sobre o seu comportamento e como somente você poderá alterá-lo.

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do brasileiros – 30 milhões de pessoas – sofrem com a dor. Ou seja, precisamos realmente prestar atenção nos sintomas dessa condição e nas causas emocionais que podem influenciar seu surgimento.

Leia Mais ►

Pesquisar online uma reação física qualquer é algo fácil, até automático, certo? Porém, essa “curiosidade” tem limite e quando ele é ultrapassado, surge a hipocondria.

Leia Mais ►

A interação entre fatores genéticos, ambientais e psicológicos podem levar ao desenvolvimento dessa doença silenciosa. Porém, são os fatores psicológicos e emocionais que funcionam como um gatilho para o transtorno vir à tona.

Leia Mais ►

Inscreva-se para receber nossa newsletter