Pessoas carentes de atenção: como ajudar amigos que sofrem com o problema

Publicado em: 05/01/2017 Por: Equipe SBie

© Depositphotos.com / Wavebreakmedia A carência afetiva pode ser causada tanto pela baixa autoestima, quando por um situação difícil enfrentada pelo indivíduo.

Todo mundo tem um amigo carente, que fica bravo quando não atendemos ou retornamos uma ligação, sente ciúmes quando estamos com outros amigos e faz de tudo para chamar a atenção.

A carência afetiva é um sentimento que pode ser considerado normal, afetando especialmente indivíduos que estão com a autoestima abalada ou que passaram por alguma situação difícil que tenha despertado sua sensibilidade. Quando a carência é constante, porém, ela pode se tornar um grande problema tanto para a pessoa que a sente quanto para seus amigos e familiares.

No fundo, pessoas carentes são muito inseguras e sentem muito medo de assumir a responsabilidade sobre suas vidas, de tomar decisões erradas e de serem rejeitadas. É muito difícil conviver com pessoas carentes de atenção, pois ninguém suporta o peso de suprir os problemas e vazios internos de outras pessoas.

Como é desenvolvida a carência afetiva?

As relações primárias determinam a capacidade de dar e receber carinho na vida adulta. Crianças que não receberam carinho suficiente ou foram rejeitadas e abandonadas costumam ser pessoas carentes de atenção, pois não aprenderam a receber ou dar carinho. Isso pode acontecer tanto em uma situação real ou por interpretação da criança diante de algum fato traumático.

O excesso de carinho e cuidado também pode desencadear a carência afetiva. Isso acontece porque pessoas que cresceram com muita dependência dos pais tendem a sentir que não são capazes de fazer nada sozinhas, inclusive amar a si mesmas. Como consequência, essas pessoas condicionam sua felicidade aos outros.

Sintomas da carência afetiva

Pessoas carentes possuem diversas características em comum, que mostram relações de dependência e necessidade. As principais são:

  • Extrema dependência do outro para ser feliz;
  • Submissão e hábito de aceitar qualquer condição por medo de ficar sozinho;
  • Necessidade de chamar a atenção das pessoas;
  • Hábito de se fazer de vítima para que o outro se comova;
  • Dificuldade de manter relacionamentos longos, pois os parceiros não suportam o fardo de ter que fazer o outro feliz o tempo todo;
  • Excesso de ciúmes e necessidade de controlar o outro;
  • Tendência a sufocar o parceiro e abandonar seus planos pessoais para viver a vida do outro;
  • Falta de critérios para se relacionar, pois qualquer coisa é melhor que ficar sozinho;
  • Hábito de se comparar com outras pessoas e se sentir inferior a elas;
  • Excesso de cobrança em seus relacionamentos, inclusive com amigos e familiares;
  • Hábito de se colocar sempre em segundo plano e fazer tudo pelos outros, com o objetivo de manter a pessoa por perto e alimentar a dependência;
  • Dificuldade para tomar decisões sozinho, mesmo as mais simples;
  • Dificuldade de dizer não e discordar das pessoas, por medo de ser rejeitado;
  • Dificuldade de se sentir bem quando está sozinho;
  • Incapacidade de fazer planos pessoais que não envolvam outras pessoas.

Como ajudar um amigo carente de atenção

Incentive o amor próprio

Incentive a pessoa a se relacionar com ela mesma, gostar de sua própria companhia e preencher seu vazio interior. Mostre que suas companhias devem ser escolhidas a partir do desejo de estar acompanhado, e não da necessidade de suprir suas carências.

Valorize

Mostre para seu amigo que ele tem valor, além de diversas capacidades e qualidades. Diga o quanto ele pode confiar em si e o quanto ele é capaz de tomar decisões sozinho e ser feliz sem a presença de outras pessoas.

Coloque limites

Caso seu amigo passe dos limites e invada seu espaço, seja claro e converse com ele sobre isso. Diga que ter outros amigos, deixar de atender uma ligação e fazer planos sem ele não significa que você não goste dele, mas que você precisa do seu espaço.

Incentive o autoconhecimento

A carência está enraizada no desejo de suprir vazios interiores por falta de amor próprio. No fundo, pessoas carentes não têm autoconhecimento suficiente para se aceitarem como são, estão focadas apenas em suas limitações e não sabem reconhecer seu potencial. A melhor maneira de lidar e ajudar essas pessoas é incentivando-as a buscar autoconhecimento para, assim, aprenderem a se aceitar e se amar verdadeiramente.

Não perca mais essa grande
oportunidade de mudar sua vida!

Pesquisas constatam que pessoas com alto grau de
Inteligência Emocional são mais realizadas e felizes.

array(0) { }