A importância da figura paterna no desenvolvimento infantil

Publicado em: 18/07/2017 Por: Equipe SBie

© Depositphotos.com / NatashaFedorova A participação efetiva do pai na vida de uma criança é fundamental para que ela desenvolva adequadamente as suas emoções.

A origem de toda emoção humana está nas relações primárias e na maneira como a primeira infância é vivida. Por conta disso, indivíduos que sofrem abandono afetivo quando crianças podem apresentar disfunções nos comportamentos sociais e distúrbios emocionais.

Rodrigo Fonseca, presidente da Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional (SBie), diz que um dos maiores temores do ser humano é a rejeição. “Até os sete anos, somos uma folha de papel em branco e todas as experiências vividas ficam registadas nesta folha que representa nosso subconsciente. É justamente a partir desses registros que criamos nossa visão de mundo, baseamos nossas escolhas e definimos padrões de comportamentos”, explica.

Cada indivíduo possui informações próprias em seu subconsciente e esses registros particulares são responsáveis por influenciar de maneira positiva ou negativa os modelos de relacionamentos que a pessoa terá ao longo de sua vida.

A figura paterna no desenvolvimento da criança é fundamental para que ela se sinta acolhida, tenha uma autoestima elevada e estabilidade emocional. A ausência do pai influencia diretamente na maneira como esse jovem irá lidar com seus relacionamentos pessoais, familiares e profissionais. Visto que, o abandono paterno gera um sentimento de inadequação, instabilidade emocional e um comportamento hostil.

Problemas emocionais associados ao abandono paterno

  • Ansiedade social;
  • Dificuldades na escola nas relações com os colegas;
  • Falta de confiança;
  • Baixa autoestima;
  • Depressão;
  • Agressividade;

Como evitar esse tipo de trauma na vida do meu filho?

O motivo mais comum que gera o distanciamento entre pais e filhos é a separação conjugal, mas não estar presente fisicamente todos os dias na vida da criança não significa que ela irá se sentir abandonada. Para que seu filho se sinta amado e acolhido, é importante garantir que o tempo que vocês passam juntos tenha qualidade, muito mais do que a quantidade em si.

Ações que para estar sempre presente na vida da criança

  • Mostre interesse pela vida escolar da criança, ajude com a lição de casa, pergunte sobre as brincadeiras, colegas, matérias e professores favoritos;
  • Saia para brincar ao ar livre: andar de bicicleta, ir à praia ou ao parque. Cuide para que o tempo que vocês passem juntos tenha qualidade;
  • Ao conversar com seu filho, procure sempre manter um contato visual com a criança;
  • Não compense sua ausência com presentes materiais;
  • Seja carinhoso: abrace e beije seu filho sempre que estiverem juntos;
  • Entenda que mesmo morando em casas diferentes, o pai também é responsável pela formação e educação da criança. Estabelecer limites, regras e chamar atenção do seu filho quando for necessário é fundamental. Tenha autoridade e não fique apenas com a parte “leve” da relação.

Como ressignificar o trauma do abandono paterno

Para superar um trauma, o primeiro passo é entender que toda experiência negativa traz um aprendizado e também um propósito. Refletir sobre como determinada situação influenciou sua vida e a pessoa que você se tornou é fundamental. Pergunte-se: esse fato me deixou mais forte ou mais frágil? Como essa situação interfere nos meus relacionamentos atuais?

É possível que pessoas que não tiveram pais presentes na infância apresentem certas dificuldades para se entregar aos relacionamentos e tenham travas que impedem que o indivíduo confie em outras pessoas. Reconhecer em si mesmo os padrões comportamentais que essa experiência causou é essencial para dar outro sentido ao trauma.

Caso você tenha sofrido com o abandono paterno na infância e sente que precisa curar feridas emocionais, dê um novo sentido à sua história de vida e desenvolva sua Inteligência Emocional com o Método LOTUS.

 

Translate »