Festas de confraternização de empresa: por que me sinto desconfortável nesses eventos?

Publicado em: 06/01/2017 Por: Equipe SBie

© Depositphotos.com / CandyBoxImages As festas de confraternização organizadas pelas empresas, são uma forma de estreitar os laços entre os colaboradores.

Esta época de início de ano é perfeita para reencontrar velhos amigos, reunir familiares e celebrar a renovação das oportunidades que a vida oferece. Acompanhando o clima de celebração, a maioria das empresas realiza festas de confraternização para que os colaboradores interajam e estreitem os laços entre si.

Ao mesmo tempo em que algumas pessoas adoram este tipo de evento comemorativo, outras se sentem desconfortáveis e participam da festa apenas por obrigação. Como consequência, esses funcionários acabam perdendo a oportunidade de desfrutar de um momento de descontração e lazer.

Por que a confraternização pode gerar desconforto?

Questões emocionais

Muitas pessoas deixam de ir na festa de confraternização e justificam sua ausência dizendo que não gostam de misturar trabalho com diversão, que não têm muitos amigos no trabalho ou que não têm muitos motivos para comemorar. As desculpas são infinitas e pode até ser que algumas dessas situações sejam reais, mas são todas administráveis.

No fundo, as questões emocionais são os principais fatores que trazem desconforto em situações como essa. Este tipo de problema está diretamente relacionado a um medo comum que afeta todas os indivíduos, mesmo que de forma inconsciente: o medo da rejeição.

O medo da rejeição

A possibilidade de não atender às expectativas dos outros dispara o medo de ser rejeitado ou criticado e, por isso, algumas pessoas têm dificuldade de se relacionar e interagir socialmente. Geralmente inconsciente, este medo funciona como um mecanismo de defesa que faz o indivíduo avaliar a situação antes de agir, muitas vezes ficando paralisado.

A necessidade de aceitação, somada ao medo de que aconteça justamente o contrário, faz com que haja um temor de encarar as outras pessoas. Quando essas questões não são tratadas, esse medo pode levar sérios a distúrbios de relacionamento — como timidez crônica, antropofobia e fobia social.

Se você foi muito criticado quando criança, com certeza sente muito medo de ser criticado. Se você foi muito cobrado, acabou desenvolvendo medo de errar e ser rejeitado por isso. Pode ser, ainda, que você tenha passado por uma situação na qual foi ridicularizado e sinta muito medo de passar de novo. Esses traumas fazem com que você passe a evitar qualquer tipo de situação em que passe por isso novamente — seja uma reunião de trabalho, até uma festa entre amigos.

Desenvolva sua Inteligência Emocional

Tente entender como eram suas relações desde a infância. Reflita sobre a convivência com seus pais e as exigências que eles faziam, analisando a forma como você reagia a elas. Quais eram as punições e os reforços positivos diante de erros e acertos? Faça uma relação de tudo isso com o momento atual e traga consciência para sua forma de se relacionar.

Se você é uma pessoa que têm medo de se relacionar, é necessário começar a se amar urgentemente. Para aprender a se relacionar com você, invista no desenvolvimento de sua Inteligência Emocional e mude a sua vida para sempre.

Não perca mais essa grande
oportunidade de mudar sua vida!

Pesquisas constatam que pessoas com alto grau de
Inteligência Emocional são mais realizadas e felizes.

array(0) { }