© Depositphotos.com/SatenikGuzhanina É importante saber a hora de se levantar e seguir em frente.

Como superar o fim de um relacionamento? Terminar um namoro ou casamento é sempre difícil. Na maioria das vezes, o término vem acompanhado de uma sensação de frustração e parece que não existe possibilidade de se desapegar do(a) ex namorado(a), mas dá sim para tocar a vida em frente!

O mais comum é que, em algum momento da vida, você precise enfrentar o desafio de esquecer um grande amor — seja por conta de um sentimento que não foi totalmente correspondido, uma traição, por ambos estarem em momentos diferentes na vida, por falta de compatibilidade ou por interesses conflitantes. Independentemente da situação que motivou o fim do relacionamento, o importante é saber a hora de se levantar e seguir em frente.

As reações fisiológicas envolvidas num término

Não é atoa que esquecer alguém é tão difícil: tanto a presença quanto a ausência de uma pessoa querida provocam reações em áreas onde temos pouco controle. Tanto no amor quanto na dor existem processos fisiológicos envolvidos e alterações físicas que excedem o que podemos entender e gerenciar.

Nosso cérebro tende a buscar o equilíbrio emocional, e o caminho que escolhe para fazer isso é tentando neutralizar as emoções. Para conseguir isso, ele realiza uma operação recorrente: quando surge uma emoção intensa, que nos tira a estabilidade usual, a resposta é dar lugar à emoção oposta ou “estímulo emocional corretivo”.

O estímulo de resposta é fraco no início, mas pouco a pouco vai ganhando força. A emoção inicial aparece muito intensa, não tem oposição e, por isso, atinge um nível máximo. É o que acontece na paixão: o estímulo inicial é o próprio afeto. Há apego, necessidade dessa pessoa, alegria ao vê-la. No entanto, pouco a pouco, o estímulo oposto aparece, embora no início não seja percebido. Gradualmente, vai ganhando força para neutralizar essa emoção inicial. É por isso que ao longo do tempo a intensidade do começo dá lugar à uma certa “neutralidade” nos sentimentos.

Se ocorre uma ausência, o estímulo inicial desaparece e fica apenas o “estímulo corretivo” que, por sua vez, se intensifica. Esse é experimentado de uma maneira muito desagradável: com tristeza, irritabilidade e todas as emoções envolvidas em um término. Basicamente, nós nos apaixonamos e, automaticamente, o nosso corpo produz a dopamina, conhecida como hormônio do prazer, e oxitocina, que é hormônio do apego. Nosso cérebro vai criando estímulos que os neutralizem e, quando terminamos, adeus hormônios e estímulo inicial.

Como superar o fim de um relacionamento?

Para lidar com o fim de um relacionamento e esquecer de vez o ex-namorado, o primeiro passo é identificar se o que você sente é uma tristeza comum que um término costuma causar ou se o sofrimento é uma consequência da dependência emocional — quando a pessoa projeta no outro todas suas expectativas e passa a depender da pessoa amada para ser feliz.

Ao sair de uma relação amorosa, é natural passar por um período de confusão em relação aos próprios sentimentos e sentir-se perdido. É um momento que pode misturar saudade, raiva, ansiedade, amor, tristeza e medo. Por isso, é necessário identificar cada um desses sentimentos e entrar em contato com eles. Não tente pular etapas e reprimir suas emoções: deixe que elas aflorem e viva o luto pela relação.

3 dicas para desapegar-se do seu ex namorado(a)

A felicidade não está condicionada a um relacionamento

Não tenha medo de passar por alguns períodos de solidão. Ficar um tempo sozinho é importante para se dedicar a si mesma, focar no seu autoconhecimento e às outras áreas da vida. Aproveite essa fase para levantar sua autoestima e curtir sua própria companhia.

Pare para refletir sobre quantas coisas legais você pode fazer sozinho: se aprimorar profissionalmente, fazer novos amigos, viajar e investir seu tempo em um curso sobre algo que lhe desperte interesse. Conecte-se com a sua essência e cuide do seu próprio desenvolvimento!

Não tente controlar o que não depende de você

Insistir em algo que não depende apenas de você é um grande desperdício de tempo e energia. Afinal, é impossível controlar os sentimentos e vontades das outras pessoas. Por isso, pare de lamentar por algo que não pode ser modificado.

Desenvolva sua Inteligência Emocional

A Inteligência Emocional é uma somatória de habilidades que tornam as pessoas capazes de administrar as adversidades da vida, percebendo e aceitando suas emoções para direcioná-las melhor. Quer entender e adquirir uma consciência maior sobre os padrões que você mantém nos seus relacionamentos? Conheça o Lotus, um treinamento de imersão onde você terá a consciência das suas emoções e encontrará a coragem necessária para superar e seguir em frente!

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

20 frases de incentivo para você fazer parte do Outubro Rosa! Confira!

Leia Mais ►

Saber reconhecer as emoções e como elas influenciam suas ações é fundamental para ter mais qualidade de vida e equilíbrio.

Leia Mais ►

Confira essa entrevista exclusiva para compreender um pouco mais sobre a doença que hoje, é considerada a “doença do século”.

Leia Mais ►

Treinamentos Sbie

DESENVOLVA A
CAPACIDADE QUE PESSOAS REALMENTE FELIZES E QUE VERDADEIRAMENTE LIDERAM SUAS VIDAs POSSUEM.
A HABILIDADE INDISPENSÁVEL PARA TODO PROFISSIONAL
QUE TRABALHA COM DESENVOLVIMENTO HUMANO.

Inscreva-se para receber nossa newsletter