© Depositphotos.com / Sanneberg O ciúmes é um dos principais problemas entre casais

O ciúme é uma reação complexa a uma ameaça perceptível à qualidade ou à estabilidade de uma relação. É um conjunto de emoções, pensamentos, comportamentos e reações físicas, e, portanto, é um sentimento tão natural quanto o medo, a tristeza, a raiva ou a felicidade.

O ciúme, quando equilibrado, é saudável e completamente normal; mas, quando se mostra de forma exagerada, causa perturbações para ambas as partes envolvidas, resultando num relacionamento infeliz, e, muitas vezes, até em um rompimento.

As pessoas não nascem ciumentas. Esse é um modelo de comportamento aprendido durante a vida, onde o indivíduo acredita que o controle do parceiro é o que vai fazer com que ele permaneça ao seu lado. Mas, esse ciúme excessivo tem a ver com a insegurança, que gera uma falta de confiança na relação e na própria vida. Uma pessoa ciumenta não se acha suficiente para o parceiro.

6 dicas para lidar com o ciúme em uma relação

Questione sua insegurança

É válido que você busque conhecer seus sentimentos e a origem deles. Faça uma reflexão sobre o que te leva a se sentir inseguro e desconfiado, racionalize seus medos e pondere os pontos. A segurança em um relacionamento é conquistada quando se assume total controle sobre seus sentimentos. Muitas vezes, são os traumas do passado e gatilhos emocionais que geram essa insegurança. Assim, é necessário ressignificar essas memórias e padrões limitant”es que te impedem de ser feliz ao lado do seu companheiro.

Invista no diálogo

É sempre importante estimular o diálogo quando algo de incômodo acontecer. Além de ser uma forma de tentar conseguir corrigir os empecilhos e chegar a uma solução, é uma boa maneira de organizar as ideias e sentimentos de forma positiva.

Sofrer calado não só não resolve os problemas, mas também acumula sentimentos ruins dentro de si que vão gerar cada vez mais insegurança, desconfiança e falta de vontade de continuar com o relacionamento.

Dedique-se a você mesmo

Antes de qualquer coisa, é necessário amar a si próprio acima de tudo. Portanto, cuide da sua autoestima! Procure ser mais gentil consigo mesmo e olhar para as suas qualidades, além de identificar seus pontos positivos e aqueles que pode você aperfeiçoar. Esse é um passo importante para acabar com a insegurança de que você é cheio de defeitos e a culpa do relacionamento é toda sua. É válido ressaltar que, uma relação formada por duas pessoas gera uma responsabilidade igual para ambas as partes envolvidas.

Mantenha a individualidade

Mesmo que vocês sejam um casal, é extremamente importante que ambos mantenham sua individualidade e preservem seu espaço individual. Muita gente acredita que respeitar a individualidade do outro, permitindo que a pessoa tome suas próprias escolhas e decisões é um sinal de falta de consideração, amor e importância. Mas, afinal, como pode haver amor sem liberdade e confiança?

Confie no seu parceiros

A confiança é um dos pilares base para a construção de um relacionamento saudável. Quando duas pessoas adultas, por livre e espontânea vontade, resolvem ficar juntas, é uma vontade delas. Assim, não há motivos para desconfiar de seu parceiro. Se você decidiu compartilhar a vida com a pessoa, é muito importante que confie nela e em seus sentimentos e intenções. A confiança é um fator indispensável para que o casal desfrute o que sente com plenitude e consiga manter e levar o relacionamento com equilíbrio e de forma saudável.

Desenvolva sua Inteligência Emocional

Um dos principais motivos para a insegurança e a desconfiança, é a falta de autoconhecimento. Isso porque, o autoconhecimento é o principal combustível para você se libertar dos gatilhos emocionais que geram ciúmes. Se você quer desenvolver seu autoconhecimento, venha para o Método Lotus, um treinamento que traz uma visão mais ampla da sua vida e o entendimento de como você pode se libertar de crenças limitantes e comportamentos que paralisam sua vida.

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do brasileiros – 30 milhões de pessoas – sofrem com a dor. Ou seja, precisamos realmente prestar atenção nos sintomas dessa condição e nas causas emocionais que podem influenciar seu surgimento.

Leia Mais ►

Pesquisar online uma reação física qualquer é algo fácil, até automático, certo? Porém, essa “curiosidade” tem limite e quando ele é ultrapassado, surge a hipocondria.

Leia Mais ►

A interação entre fatores genéticos, ambientais e psicológicos podem levar ao desenvolvimento dessa doença silenciosa. Porém, são os fatores psicológicos e emocionais que funcionam como um gatilho para o transtorno vir à tona.

Leia Mais ►

Inscreva-se para receber nossa newsletter