© Depositphotos.com / ArturVerkhovetskiy Durante a gestação de uma mulher é fundamental que o parceiro de todo apoio e seja extremamente paciente com à futura mamãe.

Ao descobrir que será pai, é comum que o homem entre em contato com várias emoções simultâneas — como ansiedade, amor, medo e preocupação. Diante dessa nova configuração familiar, é natural que ocorram diversas mudanças que afetam a rotina e a maneira de pensar do indivíduo.

Para que o momento seja o mais tranquilo e harmonioso possível, é fundamental se manter emocionalmente equilibrado, de modo que o homem se prepare adequadamente para a paternidade e possa dar todo o suporte necessário à mãe do bebê. Por mais que o casal tenha se preparado e esteja animado com a chegada do novo integrante da família, a novidade pode vir acompanhada por uma sensação de insegurança para ambos, uma vez que se trata de um ser vivo que será totalmente dependente dos pais.

Não fugir desses medos e preocupações é o primeiro passo para encarar este novo momento de vida. Um bom exercício é externar todas suas dúvidas e temores e, uma ação que permite o indivíduo perceber que a maioria desses receios são irreais.

Como ser um bom parceiro durante a gestação?

Todas as mudanças hormonais e corporais que acontecem na gravidez costumam abalar a autoestima feminina, além da sensação de insegurança que pode ser desencadeada pela chegada do bebê. As transformações físicas e emocionais aumentam consideravelmente a sensibilidade da gestante, podendo provocar muitas mudanças de humor e levando a mulher a vivenciar uma verdadeira “gangorra emocional”.

É fundamental dar muito apoio à futura mãe, sempre de maneira paciente e cuidadosa. Quando não existe amparo por parte do parceiro, as consequências também podem ser sentidas pelo bebê e, para evitar que isso aconteça, a SBie preparou algumas dicas para que essa fase tão especial e delicada seja saudável e feliz para toda família. Confira:

Ouça com atenção

Escute todos os medos e inseguranças da sua parceira sem fazer julgamentos. Tente tranquiliza-la e mostre que você está ao lado dela para enfrentar todos os questionamentos e desafios que aparecerem durante a gravidez.

Acompanhe as consultas médicas

Ser um marido presente durante o pré-natal é fundamental para que sua parceira se sinta acolhida e perceba que não está sozinha nesta jornada.

Exercite a paciência

Quando perceber que sua esposa está passando por um momento difícil ou sentindo tristeza, ansiedade ou medo, respeite o espaço dela e dê tempo para que ela se acalme. Após esse momento, converse sobre o que gerou o desconforto, dando apoio para que ela perceba que essa labilidade emocional faz parte da gestação.

Não economize nos elogios

A autoestima fica naturalmente abalada durante a gravidez, justamente por conta das diversas mudanças corporais e hormonais. Para minimizar este problema, cuide para que a gestante se sinta menos insegura e elogie-a sempre.

Adapte-se à nova rotina

Nas primeiras semanas de vida do bebê, a rotina dos pais tende a ser muito desgastante. Esteja presente quando a nova mamãe tiver que acordar várias vezes para amamentar, trocar fraldas e consolar o choro do bebê. Divida ao máximo todas as tarefas que dizem respeito aos cuidados com a criança e tenha uma atitude disponível.

 

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest

Posts Relacionados

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do brasileiros – 30 milhões de pessoas – sofrem com a dor. Ou seja, precisamos realmente prestar atenção nos sintomas dessa condição e nas causas emocionais que podem influenciar seu surgimento.

Leia Mais ►

Pesquisar online uma reação física qualquer é algo fácil, até automático, certo? Porém, essa “curiosidade” tem limite e quando ele é ultrapassado, surge a hipocondria.

Leia Mais ►

A interação entre fatores genéticos, ambientais e psicológicos podem levar ao desenvolvimento dessa doença silenciosa. Porém, são os fatores psicológicos e emocionais que funcionam como um gatilho para o transtorno vir à tona.

Leia Mais ►

Inscreva-se para receber nossa newsletter